quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

MENSAGEM DE ESQUINA MONTEVIDEO


EU DESEJO A VOCÊ...


UM FELIZ 2010!

MENSAGEM DE MICHELLE BEHAR


PALAVRA FIANDEIRA

NOVA EDIÇÃO DE PALAVRA FIANDEIRA
REVISTA DE LITERATURA
ROCIO L`AMAR ENTREVISTA JUAN TORRES JIMÉNEZ


LEIA E ACOMPANHE PALAVRA FIANDEIRA!

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

COM OS VOTOS DA SAPABELA


A querida Sapabela, tão amada pelas crianças, deseja a todos vocês um Ano de 2010 repleto de harmonia, amor e felicidade.
Arte: Daniela Alves Vasques

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

IMPRENSA DA ZONA LESTE - 2


SEGUNDA QUINZENA DE DEZEMBRO DE 2009

IMPRENSA DA ZONA LESTE - 1


SEGUNDA QUINZENA DE DEZEMBRO

SAPABELA MAL HUMORADA

Num desses encontros casuais, Rospo encontra a velha amiga Sapabela,  saltitante a comemorar, fazendo um enorme estardalhaço.
- Sapa, o que está acontecendo?
- Consegui, Rospo, consegui!
- Querida, estou surpreso com a sua euforia. Mas, por favor, conte-me o motivo de tanto entusiasmo.
- Consegui! Agora faço parte de um grupo de amigas.
- Parabéns! E que  grupo é esse?
- São as três que vivem a se lamentar.
- Aquelas mal humoradas? E qual é a vantagem de entrar num grupo assim?
- Acontece que eu queria fazer parte do grupo, mas não conseguia, por estar sempre feliz, alegre e contente. A minha felicidade incomodava, causava distúrbios no grupo.
- Sim, o mau humor delas é famoso.
- Então, eu me tornei mal humorada, rabugenta, chata, e assim elas me aceitaram no grupo. Por isso estou comemorando com tanta alegria. Viva o meu mau humor!
- Impressionante!
- Nada como fazer parte de um grupo. Agora sou uma mal humorada. Viva! Viva! Viva!
- "Acho que bebi demais no Natal".


MARCIANO VASQUES
Histórias do Rospo - 43

O TAPETE E A ESCADA

- Rospo, aqui está um tapete.
- Não, você não. Tchau, e obrigado.
- Rospo, pegue o tapete que estou lhe oferecendo.
- Não, Sapo, não preciso da sua ajuda. Obrigado.
- Rospo, leve o meu tapete.
- Não, amigo Sapo, não preciso do seu tapete. Faça bom proveito dele.
Depois de encontrar diversos conhecidos pelo caminho, Rospo encontra sua amiga Sapabela.
- Olá, Sapa. Que saudades!
- Eu também, desde ontem não conversamos.
- Estou com um problema, estou vivendo um aflição.
- Rospo, quero ajudar.
- Obrigado, você é uma amiga de verdade.
- Tome uma escada.
- Agora sim, confirmo o que acabei de dizer.
 - Não sabia que ficaria tão feliz com uma escada.
- Pois é, Sapa, é mais fácil para muitos oferecer um tapete, que pode ser puxado, do que uma escada, que pode nos auxiliar a subir e lá do alto ver com mais clareza uma solução para os nossos problemas. Obrigado pela sua escada.
- Disponha.

MARCIANO VASQUES - Histórias do Rospo - 42

AGRADECIMENTOS


Ao aproximar-se o findar do primeiro ano de CASA AZUL DA LITERATURA, registro aqui os meus agradecimentos aos que acompanharam o blog que nasceu em Agosto e também aos que contribuíram com as suas imagens e produções  artísticas para embelezar a casa. Obrigado a todos! (Marciano Vasques).

O PALÁCIO


Todas as crianças deveriam morar lá ou pelo menos visitá-lo de vez em quando. (Marciano Vasques)

MENINA COM LIVROS INFANTIS


Sob autorização

O TREINAMENTO DA JOELMINHA

- Tire o pé do sofá! Não urine na tampa do vaso, deixou essas migalhas de pão na pia só para a empregada aqui limpar? Abaixe a tevê! Fale mais baixo. Você está gordo! Pare! Que sujeira! Para pôr arroz no prato, sujou todo o fogão. Não quero saber! Estou com dor de cabeça! Não grite! Eu não estou gritando, é você quem está! Que chulé! Que bafo de cerveja! Você só pensa em comer e dormir... Homem é todo folgado. Que saco! Futebol novamente!

- Joelminha, como vai?
- Olá, Sapabela!
-O que é isso, menina, ficou maluca? Está falando sozinha.

- Falando sozinha?
- É.
- Pois é, estou treinando.
- Treinando? Para que coisa está treinando?
- Para o casamento.
- Você pretende se casar?
- Por enquanto ainda não. Sou muito jovem, prefiro viver primeiro.

- Joelminha, posso falar uma coisa?
- Claro, Sapabela.

- Realismo exagerado é chato.


MARCIANO VASQUES
Histórias do Rospo - 41

MELISSA

Os dispersos raios de um sol extravagante
orientando os passos do viajante.
Geleiras ao mar, orvalho em queda,
deslizando no verde
das folhas da planta.


Gritos, grutas e pássaros, saltos e rastros,
asas de inseto, esperanças no afeto.
Ostras na areia, astros no céu, leão na floresta, vento que leva o chapéu.
Calçar a meia. Desenhar a valsa, os varais, a rã.



É festa, e o riso dissipa o véu.
A lá e o cetim, a fumaça, o aço,
a anel, o anil, o algodão, a flanela,
o canavial, o bagaço,
a luz no peitoril da janela.
Alaridos ao léu.


O pardal, o perdão, o flamingo,
a catatua, a ema,
o domingo, o poema,
o guará, o guaraná,


A rosa e a cotovia,
as folhas espalhadas,
o choro e as gargalhadas de cada dia.
Seja bem vinda, Melissa!




MARCIANO VASQUES    (escrito em 26 de junho de 2001)

BARCO A VAPOR


segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

O BLOGUEIRO 7



 

FELIZ ÚLTIMA SEMANA DO ANO


Desejo a todos os seguidores, amigos e moradores de CASA AZUL DA LITERATURA uma última semana do ano maravilhosa. Que a harmonia e a energia sejam renovadas a partir de hoje: Lunes, Monday, Montag, Lundi, Lunedi, Segunda - Feira.
MARCIANO VASQUES

A DIFICULDADE DO SAPO

-—É mais fácil...Uma dissertação de mestrado.
—Continue, Rospo...
—É mais fácil... Uma tese de doutorado...
—Papo meio esquisito...
—É mais fácil aprender álgebra...
—Nossa! O que será que o aflige?
—Mais fácil aprender Alemão...Japonês...
-—Rospo, você deve estar com uma dificuldade imensa...
—Sapabela, acha que ainda existe espaço para a timidez no mundo atual, tão cibernético, tão tecnológico, com constelações de blogs...?
—Rospo, a timidez tem algo a ver com o ser humano...
-—E com os sapos...
—Sim, claro. Mas, por que a questão?
-—Nada, tchau, preciso ir, tenho um compromisso.
Sapabela fica sozinha a pensar: "O que será que é tão difícil para ele?"
Enquanto isso, sob uma árvore, o sapo, a cismar:
—"Ela é tão linda!"

MARCIANO VASQUES
Histórias do Rospo - 40

O SAPO E O ANO NOVO

- 31 de Dezembro é um dia como outro qualquer.
- Claro que não!
- Ora, Rospo...
- Sapabela, algo extraordinário acontece...
- Sim?
- O planeta completou a sua translação, é um novo ciclo, uma nova volta, e recomeça tudo.
- É apenas simbólico. Quem garante que o 31 de Dezembro é o ponto de chegada da translação? Para mim, a cada dia temos um novo ano.
- Sapabela, a humanidade ainda não evoluiu tanto, nem os sapos. Um símbolo nos satisfaz. Calendário é apenas referência. Se quiser, pode me desejar Feliz Ano Novo diariamente.
- Pensando bem, os símbolos são maravilhosos. Deixe-me abraçá-lo, Rospo.
- Mas ainda não é Meia Noite!
- E precisa?


MARCIANO VASQUES Histórias do Rospo - 39

ALGAZARRA DE LETRAS - 1

PULANDO SEM PARAR


Mala sem alça não é mula sem alce.


Argola não é argila.


Gole não é galo.


Galo não é lago.


Logo, gola não é gula.
Não engula o gelo.
Gelo não é geleia


Geleia não é jaca.
Jiboia não é boia.


Jia não é joia.


Mas com essa algazarra de letras,


O que não era acaba sendo.


E num bagaço...


Bagaço não! Bagunça.


Isso! Numa bagonça...


Tire essa onça daí!


Desculpe-me, mas elas ficam pulando de sílaba em sílaba.


MARCIANO VASQUES

domingo, 27 de dezembro de 2009

NOVA PALAVRA FIANDEIRA


NOVA PALAVRA FIANDEIRA - Veja e leia a entrevista realizada por Carmen Ezequiel, de PORTUGAL. Já está no ar. Leia PALAVRA FIANDEIRA.

sábado, 26 de dezembro de 2009

CANÇÃO DA TERRA - CANÇÃO 41



EARTH SONG - Íntérprete: Michael Jackson

CANÇÃO EM VOLTA DO MUNDO



STAND BY ME - Intérpretes ao redor do mundo

O ANO NOVO DO SAPO

Tudo pronto para a grande virada. Quase meia-noite e na casa do Rospo só alegria. A ceia está montada e o reveillon vai começar.


- Vamos cantar gente! Daqui a pouco é um novo ano.


- Tem certeza?


- Não faça isso Sapabela...


- Aprendi com você, amigo.


- Está bem. Qual é o problema? Daqui a pouco por acaso não será um novo ano?


- Depende.


- Sapa, a festa está animada. O que significa esse “depende”?


- Depende de você, Rospo. Se você quiser verdadeiramente, daqui a pouco será mesmo um ano novo.


- O Planeta completou um giro em torno do Sol, portanto entraremos num novo ano.


- Acho que você ainda não entendeu. O ano novo está dentro da gente. Quem muda é você, Rospo. Se você não mudar, tudo não passará de apenas uma mudança de calendário. Para o ano ser de fato um novo tempo, as mudanças estão dentro de você.


- Mas eu posso estar satisfeito comigo mesmo.


- Ótimo. Então você pode ser imutável.


- Para que mudar se estou satisfeito?


- Você fez uma revisão nos seus conceitos? Por acaso deu um trato nas velhas idéias? Ficou mesmo completamente satisfeito com as suas contribuições durante o ano?


- Não deu tempo pra pensar muito.Você sabe, Bela, não sobra tempo para nada.


- Talvez o tempo não esteja sendo bem utilizado.


- Sapa, não se esqueça: estamos numa comemoração.


- Quem comemora também pensa...


- Está bem, você venceu....


- Eu nem sabia que era uma competição, Rospo!


- É o modo de falar. Eu quis dizer que você tem razão. Se eu não melhorar, o ano novo será apenas uma ilusão.


- Isso mesmo, Rospo. Cada um de nós tem o ano novo dentro da gente. Não desperdice a chance de mudar o seu calendário interior...


- É verdade, somos os responsáveis pela chegada de um novo tempo...


Um dos convidados grita: - Pessoal, quase meia-noite!


A Sapabela e o amigo Rospo se abraçam.


- Feliz Rospo!


- Feliz Sapabela!

ARGUMENTO: Marciano Vasques
ARTE: Daniela Alves Vasques
Histórias do Rospo - 38

A PROFESSORA ENGESSADA

Entrou correndo, em alta velocidade, atirou longe a mochila e foi logo contando a novidade, toda ofegante.
- Tia Sapabela! A minha professora está com gesso.
- No braço ou na perna, Amélia?
- Nos braços, nas pernas...
- Sua professora está toda engessada?
-" Pobre professora. deve ter sofrido um acidente. Amanhã irei visitá-la" - Pensou a Sapabela, enquanto a agitada sobrinha já se punha à mesa para fazer a lição de casa.
- Muita lição, Amélia? Não quer primeiro lanchar?
- Não, tia, prefiro fazer a lição. Veja, ela mandou tudo isso de cópia, mais de 10 folhas do livro, e também fazer numerais até 1000, três vezes...
No dia seguinte, lá está a Sapabela com a professora.
- É imaginação da sua sobrinha. Aproveito para dizer que o meu método de ensino é o tradicional. Não acredito nessa história de Construtivismo... O meu planejamento é sempre o mesmo, a cada ano. Eu não mudo...
- Mas mandou muitas páginas de cópia! Como vai sobrar tempo para a imaginação? É estranho que a minha Amélia tenha falado do gesso.
- Certamente é uma visão que ela teve. Sabe como são as crianças de hoje, cismam de pensar...
- "Uma visão...Sim, uma visão do futuro, diante do passado...", meditou a Sapabela.
Em casa, diante da pequena sobrinha:
- Sim, Amélia, você estava certa. A sua professora está mesmo engessada.


ARGUMENTO: Marciano Vasques
ARTE: Daniela Alves Vasques

HISTÓRIAS DO ROSPO - 37

O SAPO QUE LIA MUITO

- Sou um grande leitor, Anorita.
- Sei disso, Rospo. A Sapabela me contou.
- Li muitos livros em minha vida.
- Isso é ótimo.
- Conforme dizia Machado de Assis...
E Rospo prossegue:
- Segundo Nietzsche...E como disse Shakespeare...De acordo com Sartre...Segundo Guimarães Rosa...Concordo com Gabriel Garcia Márquez...Assim disse Dostoiévski...Como costumava falar Jorge Amado...Segundo as palavras de Eduardo Galeano...
- Rospo! Espere um pouco!
- O que aconteceu, Sapabela?
- Não sou a Sapabela! Sou a Anorita. E quero dizer uma coisa: Ler é bom, mas você ficou o passeio todo citando os autores que leu...

- Isso não é bom? 
- É bom, mas, é bom também de vez em quando pensar com a própria cabeça.

MARCIANO VASQUES  Histórias do Rospo - 36

ANORITA E A RÃ DO PROVÉRBIO

- " A rã que está no fundo do poço pensa que o céu é do tamanho da boca do poço ".
- Que bonito, Anorita! É um provérbio antigo, não é?
- Muito antigo, Sapabela. E muito sábio, também.
- Sim, devemos sempre tê-lo em mente quando a situação estiver difícil. Às vezes, as circunstâncias nos deixam em apuros, e como não encontramos a saída, nos sentimos como ela...
- Ela, quem?
- A rã do provérbio.
- Verdade. Então é sempre bom lembrar da imensidão do céu, muito mais amplo do que a "boca do poço".


MARCIANO VASQUES
Histórias do Rospo - 35

CANÇÃO 25



QUEREM ACABAR COMIGO - Intérprete: Roberto Carlos

No início da carreira, o artista sofria algumas acusações, entre as quais a de perverter a juventude com as gírias e com seus gestos considerados femininos. O cantor, diante das críticas, respondeu com uma canção.

O PODER DA IMPRENSA E O PRECONCEITO


O PODER DA IMPRENSA E O PRECONCEITO
 E foi preciso uma segunda morte

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

CANÇÃO 40



HAPPY CHRISTMAS - Intérpretes: Gloria Estefan, Celine Dion & Charlotte Church - (Legendado-BR)

CANÇÃO 39



HAPPY CHRISTMAS - Intérprete: JOHN LENNON

NATAL DE LETRASKILTRAS


MENSAGEM DE LETRASKILTRAS

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

FELIZ NATAL!


FELIZ NATAL PARA VOCÊS, PARA CADA UM DE VOCÊS! (Marciano Vasques)

CANÇÃO 24



EU QUERO É BOTAR MEU BLOCO NA RUA - Intérprete: Sérgio Sampaio

BRINCANDO DE FELICIDADE



TEMA DE BONANZA

FELIZ NATAL AOS SEGUIDORES E AMIGOS!

FELIZ NATAL!
AOS SEGUIDORES E AMIGOS DE CASA AZUL DA LITERATURA


CRIANÇAS DA RUA ESPERANTINÓPOLIS


UM FELIZ NATAL PARA AS CRIANÇAS DA RUA ESPERANTINÓPOLIS

O SAPO E A CURIOSIDADE INFANTIL

Rospo está arrumando a sua biblioteca particular quando chega a Sapabela.
- Tem bastante livros, Rospo. Parabéns!
- Estou organizando. Como você sabe, a criançada vive aqui. Sobrinhos, filhos dos amigos...
- Bom que a sua bilblioteca seja um lugar atraente para os pequenos. O que está fazendo?
- Escrevendo um pequeno cartaz: PROIBIDO PARA CRIANÇA.
- Mas esses livros são infantis.
- Por isso mesmo.
- Explique.
- Eu quero que eles sejam lidos pela garotada.
- Mas pôs que é PROIBIDO.
- Parece que você não conhece a curiosidade das crianças.
- É verdade, Rospo. Se você diz que é proibido para as crianças, isso é o suficiente para despertar a curiosidade delas.
- Exatamente. Basta dizer que é proibido, e já garantiu que elas tentarão ler de todo jeito. 
MARCIANO VASQUES Histórias do Rospo - 34                   

CARTÃO DE NATAL NOOVHA AMÉRICA


O ROSTO DO TEMPO = 2


OMAR SHARIF

Imagens GOOGLE

O ROSTO DO TEMPO = 1


OMAR SHARIF

O ROSTO DO TEMPO = 2


JULIE CHRISTIE

O ROSTO DO TEMPO = 1


JULIE CHRISTIE

O ROSTO DO TEMPO = 2


GERALDINE CHAPLIN

O ROSTO DO TEMPO = 1


GERALDINE CHAPLIN

SALVE O SAMBA! = 2



PELO TELEFONE - Diversos Intérpretes

SALVE O SAMBA! = 1



"PATRÃO, PRENDA O SEU GADO" - Intérprete: Martinho da Vila

RARIDADES - 2


TREM SUJO DA LEOPOLDINA - Autor: Solano Trindade
Intérprete: Raquel Trindade, filha do poeta.
(No documentário "Geraldo Filme")

RARIDADES - 1


ÁGUAS CALIENTES - Intérprete: Martinha

ARQUIVO MUSICAL DO BRASIL = 2

ARQUIVO MUSICAL DO BRASIL = 1


NÃO CREIO EM MAIS NADA - Intérprete: Paulo Sérgio

ARQUIVO MUSICAL DO BRASIL É UMA ESPAÇO NO QUAL ESTARÃO POSTAGENS DE MÚSICAS POPULARES QUE O POVO DO BRASIL OUVIU E CANTOU EM DETERMINADOS MOMENTOS, E QUE ESTÃO NO YOUTUBE. NESSAS POSTAGENS, SE PODERÁ, ENTRE OUTRAS COISAS, TER SUBSÍDIOS PARA SE ENTENDER MELHOR OS CAMINHOS DA INDÚSTRIA CULTURAL E A COMPREENSÃO DA IMPORTÂNCIA DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO, O RÁDIO E A TELEVISÃO, NA CONSOLIDAÇÃO DA ALMA ROMÂNTICA POPULAR DO BRASIL.
(Marciano Vasques)

CARTÃO DE NATAL DE KULA


CARTÃO DE NATAL DE KULA GERENCIAMENTO

RETROSPECTIVA CASA AZUL 2009


Apresentação da peça A CIDADE DAS CANTIGAS, no teatro do CEU QUINTA DO SOL

FAXINAL DO CÉU - 2



FAXINAL DO CÉU - Guaira - Maria José Amaral

FAXINAL DO CÉU


FAXINAL DO CÉU - Guaira - Maria José Amaral

A FAXINA DO SAPO

— Hoje é dia de faxina, Monize, o Ano Novo está chegando.
— Verdade, enxada para limpar o quintal, muita água, muito sabão...
— Muita vassoura, Colibrã.
— Concordo, Joelminha, muita limpeza. Vamos deixar tudo brilhando. Os móveis lustrando, para receber o novo ano.
— 2011 merece!
— Sapabela, veja quem vem chegando!
— O Rospo. Está carregando um livro.
— Rospo, hoje é dia de faxina.
—  Eu sei, por isso trouxe a minha vassoura.
— Vassoura? Isso é um livro.
— Pois é.
— Vai fazer faxina com um livro?
— Faxina da mente. Varrer os porões da mente. Retirar os entulhos. Entendeu? Deixar o pensamento limpo, brilhando...
— É, meninas. Ele está certo. Vou buscar um disco.
— Disco? Ora, Sapabela...
— Boa música também ajuda na faxina mental. Vocês não sabiam?

MARCIANO VASQUES
Histórias do Rospo - 33                                                                                                                                 

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

ANO NOVO!


TRECHO DA ENTREVISTA

TRECHO DA ENTREVISTA QUE MARCIANO VASQUES CONCEDEU AO SAPO ROSPO E À SAPABELA



ROSPO - CASA AZUL DA LITERATURA é um blog de Literatura Infantil?  É um blog infantil?
MARCIANO VASQUES - Não, de maneira nenhuma. CASA AZUL é um blog para pessoas que amam a poesia, a beleza e a arte, para os que acreditam que o mundo pode ser melhor, com mais justiça e mais amor. Como sou autor de Literatura Infantil, o blog, claro, tem muitas postagens de Literatura Infantil, pela qual, evidentemente, sou apaixonado.

SAPABELA - Por que você fica postando canções românticas?
MARCIANO VASQUES - Enquanto existirem homens e mulheres no mundo , essas canções continuarão a ser importantes.

Esse é um pequeno trecho da entrevista que os dois amigos realizaram com o autor Marciano Vasques

CANÇÃO 23


OS BRUTOS TAMBÉM AMAM - Intérprete: Agnaldo Timóteo

O SAPO QUE QUERIA MUDAR O MUNDO

—No portão de sua casa, Rospo conversa com a sua amiga Sapabela.
—Sapa, quero mudar o mundo.
—Entre, Rospo.
—O mundo está confuso. Preciso fazer algo, dar a minha contribuição.
—Entre, meu amigo....
—Com a minha ajuda, hei de melhorar o mundo...
— Entre, por favor.
—Sapa, que história é essa? Falo coisas e você me manda entrar.
—Ora, diz que quer melhorar o mundo.
—Exatamente.
—Pois então entre...
—Continuo sem entender.
—As primeiras mudanças devem começar na sua casa. É nela que você começa a melhorar o mundo.

MARCIANO VASQUES
Histórias do Rospo - 32

A VIAGEM DO SAPO

- Não vi o Rospo hoje.
- Está viajando.
- Nem me avisou!
- Precisa avisar você, Sapabela?
- Quero dizer...Nem se despediu de mim, Joelminha.
- Não precisa.
- Claro que precisa. Se está viajando, tem que se despedir.
- Nesse caso não. Veja! Lá está ele na varanda.
- Mas está lendo um livro!
- Foi o que eu disse.
- Tem razão: Para essa viagem não precisa despedida.


MARCIANO VASQUES
Histórias do Rospo - 31                                                       

SANTOS


SANTOS - Foto de Felipe Pitta
Santos é a cidade onde nasci. (Marciano Vasques)

BREVE HISTÓRIA


PRIMEIRO LIVRO DE MONTEIRO LOBATO  (1917)

BREVE HISTÓRIA DA LITERATURA INFANTIL NO BRASIL - 1

NATAL NO MUNDO



ÁRVORE NO IBIRAPUERA - São Paulo

BARCA


BARCA - Cascarilleiro - Coruña - Espanha

NATAL NO MUNDO


VOTOS DE NATAL A TODOS OS BLOGUEIROS - Enviado por Cascarilleiro - Coruña - Espanha.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

O SAPO E AS MOEDAS PARA O CÉU

— Está maluco, Rospo? Jogando moedas para o alto?...
—Veja que ceu esplendoroso, Sapa! Que azul! Que imensidão!
—E o que isso tem a ver com atirar moedas para o alto?
—Conheci um sapo que encontrou uma moeda no chão.
—Que sorte! E dai?
—Ele passou a caminhar olhando para baixo.
—Que pena...
—Se eu jogar moedas para cima, para as nuvens...
 —Já sei o que vai acontecer.
 —Isso mesmo. Ele vai olhar para o alto, tentando encontrar uma moeda e vai contemplar a beleza da imensidão azul

MARCIANO VASQUES

CARTÃO DE NATAL


CARTÃO DE NATAL de Antonio Verdu Asis

MARCHA DE CARNAVAL - 1

MARCHA DA CADERNETA


Estou
Estou
Estou desconfiado
Estou desconfiado
Que ele não vende fiado                         (BIS)


Não
Não
Não pode ser
Sem o fiado
De fome eu vou morrer                          (BIS)




São tantas bocas
Pra sustentar
E ele só pensa
Só pensa
Em faturar                                             (BIS)




Eu já falei
Pra marieta
Que sinto saudades
Da caderneta                                         (BIS)

MARCIANO VASQUES

Pesquisar neste blog