terça-feira, 3 de agosto de 2010

ENTREVISTA DE ANIVERSÁRIO




ENTREVISTA NO ANIVERSÁRIO DO BLOG

Em entrevista, autor comenta o primeiro aniversário de Casa Azul

por Danilo Vasques, jornalista


Há exato um ano, o escritor Marciano Vasques inaugurou o blog Casa Azul da Literatura. Autoral, o espaço tornou-se uma plataforma para manifestações artísticas regionais e intercontinentais, além de se configurar como uma ferramenta de diálogo entre diversos artistas. A literatura do nome lemos aqui como sinônimo para as palavras "arte" e "cultura": Casa Azul está longe de se restringir aos livros.

Entre letras, charges, pinturas, fotografias e vídeos, observamos a convivência entre a atual produção artística e a documentação histórica de ícones já distantes do universo midiático. A memória do cancioneiro popular brasileiro, por exemplo, conserva um dos braços de Casa Azul, enquanto a agenda de eventos literários, por sua vez, é frequentemente atualizada. As janelas desta morada refletem diversas épocas, lugares e gostos.

Poeta nascido na cidade litorânea de Santos, o escritor de literatura adulta e infantojuvenil traz na bagagem mais de vinte livros publicados. A saber, daqui a duas semanas, Vasques estará na Bienal Internacional do Livro, em São Paulo, apresentando seu mais recente trabalho: o infantil Letras Sapecas, projeto escrito há quase cinco anos e oficialmente lançado agora.

Em sua biografia, o autor encorpa uma ciência que carrega há mais de trinta anos: a educação. Formado em filosofia, aperfeiçoou-se em estudos pedagógicos e leva gosto por outros idiomas. É professor, tradutor informal (é ele quem assume as transcrições de seus blogs) e um observador virtual da produção cultural mundo afora.

De sua casa, remetemos a seguinte entrevista:

1. Eis o primeiro aniversário da Casa Azul da Literatura. Em breves linhas, qual o seu balanço para este ano de intensa produção?
VASQUES: A alegria é imensa, pois Casa Azul da Literatura cumpriu seu propósito de se tornar a morada dos que velam pela beleza do mundo, seja através de uma poesia, uma canção, um quadro, uma foto. Desde o seu nascimento, em agosto do ano passado, o blog demonstrou a sua intenção de divulgar a arte do outro, e levar o outro a sentir que ele estava em casa. Isso assustou e incomodou alguns, que não estão habituados a isso, de divulgar o próximo, sem alarde, sem pedir autorização, mas trouxe alegrias para muitos, e isso refletiu mais em mim, ou seja, a alegria é mais produtiva, sempre.
2. Como você define a literatura presente no nome do blog? Seria ela, pois, uma forma de conversão para múltiplas artes?
VASQUES: Sim, o "Volare" presente no alto do blog e o "múltiplos olhares" apontaram para isso desde o início. O espectro, a semântica da literatura voou para um dimensão de abertura universal. Uma foto, uma imagem, um poema e até uma canção, além de aforismos, pensamentos, dizeres e sonhares são formas literárias. A literatura é mais ampla do que pode a imaginação prever.
3. Um detalhe precioso: observamos em Casa Azul diversos marcadores (tópicos ou temas) que elegem a canção como objeto de postagem. Há um preiteamento à música? Para responder, sugiro pensarmos na imagem de Gigliola Cinquetti, frequentemente vista no blog.
VASQUES: Tudo em Casa Azul da Literatura tem importância, como a capa do gibi, ela está ali por ser altamente significativa, um gibi, em determinadas circunstâncias pode mudar o rumo da vida de um garoto. Isso aconteceu comigo. Devo muito ao gibi, como devo aos eucaliptos. E a música é a mesma coisa. Uma canção "é sempre mais do que uma canção", e a Casa optou por privilegiar o canto que emocionou corações, pois é urgente a necessidade do resgate das formas de amores cantados, peitos repletos de boleros, além de mostrar coisas que no cotidiano não se percebe, como a importância do seriado Bonanza para uma geração, ou as canções dos cantores românticos, que longe dos muros acadêmicos emocionaram os corações. Gigliola é um símbolo de Casa Azul, assim como o Rospo, e, mais ainda, a Sapabela, e também O Blogueiro, Gigliola Cinquetti é a primeira dama da Casa Azul, é a sua moradora ilustre. A sua voz é muito importante para a reforma dos sentidos, para que as pessoas possam perceber que às vezes o retorno é a melhor forma de caminhar.
4. Em um ano, mais de quatrocentas pessoas inscritas como seguidores (em média, a cada 21 horas uma pessoa passa a seguir o blog), milhares de visitas oriundas de várias partes do planeta, frequente intercâmbio cultural com Portugal, Espanha, Itália... As dimensões proporcionadas pela troca na internet assustam? Os números de Casa Azul pressupõem o reconhecimento do trabalho?
VASQUES: Sim, naturalmente, é o reconhecimento do trabalho e para muitos é forma de dizer: Estamos aqui. Isso é muito importante. "Estamos Aqui". Olhe!, Veja!, não estou apenas seguindo, mas estou aqui, - isso é demais. A internet é uma das maravilhas do cérebro humano, e ela veio para aproximar vidas e sonhos. Claro que ainda é usada de forma incorreta por muitos, mas a maioria está nela para tornar o mundo mais feliz. E você torna o mundo melhor quando em vez de ficar ouvindo fofocas, ou brigando com alguém, ou vendo se dissolver o melhor de você no cotidiano, vem para cá, para o aconchego do blog e trilha um caminho no qual a poesia pede passagem. E de repente a vida mais autêntica pode estar aí, e por ela, por causa dela, você acaba se aproximando mais das pessoas, e se torna uma pessoa melhor, pois não há de querer contrariar, trair o seu blog; você há de querer dizer e diz: Olhe! Eu sou isso!
5. O nome Casa Azul da Literatura surgiu a partir de um título de um de seus livros, correto?
VASQUES: É um livro de que gosto muito, uma história para o público juvenil que conquista o leitor. É bom saber que existe uma casa azul. O livro em questão é "Uma Aventura na Casa Azul" publicado pela Editora Cortez.
6. Casa Azul não agrega publicidade e se afirma como uma produção cultural sem fins lucrativos?
VASQUES: Sim, pode ser que no futuro vá se transformar num site ou numa revista, enfim, mas por enquanto e creio que por muito tempo continuará sendo um blog, pois blog é uma das melhores coisas da internet.
7. Quais os objetivos de Casa Azul da Literatura?
- Além de divulgar a minha obra, e se tornar um espaço de produção e difusão da literatura e da arte, abre os seus cômodos, ou melhor, os seus corredores para outras manifestações de outros artistas, tendo como princípio a beleza e a liberdade, sempre. Um dos seus objetivos é participar de uma nova visão da blogosfera, onde, respeitando a questão dos direitos autorais, publica e divulga sem nenhum critério de exclusão a arte, abrindo espaços para a divulgação de eventos e de quereres.
8. Um "mosaico cultural", uma "plataforma artística", "ponto de encontro e de diálogo entre autores e artistas"... Estes são rótulos possíveis para a Casa Azul da Literatura? Rótulos são necessários?
VASQUES: Talvez uma "Casa Azul da Liberdade", da liberdade artística, onde o poeta, o escritor, o artista plástico, o artista vai encontrar um seguro cais.
9. Como você observa a interação entre blogs? Palpita um futuro para a blogosfera?
VASQUES: O blog é de longe o melhor instrumento não apenas para a transmissão da beleza, da poética, mas também para a denúncia e a luta contra todas as formas de injustiças. Claro que mesmo um blog que divulga receitas de doces aproxima pessoas, pois há uma ligação profunda entre todos os seres humanos, seja pela necessidade da poesia, da aventura, mas também pelos sabores, pelo olfato, é urgente que não se esqueça do perfume de uma flor. O perfume de uma flor, o cravo exalando seu aroma, a canela, tudo isso é como a poesia, que é como a criança encantada com o apito distante de um trem numa noite de grilos e pensamentos de assombrações, de magia, de sonhos e de insônia. E essa interação entre blogs sinaliza com o futuro, ao edificar uma corrente, um entrelaçamento que transforma o mundo num feixe luminoso de comunicação entre os seres.
10. Parafraseando enquete recém-publicada em Casa Azul: você é feliz na blogosfera?
VASQUES: Sim, ninguém poderia ser mais feliz.
11. Adiante, o que o visitante pode esperar de Casa Azul?
VASQUES: Alegria, cores, felicidade, paz, aconchego, conversa, literatura, canções de amor, sapos...
12. A publicação de manifestações artísticas em Casa Azul é determinada pelo crivo do autor do blog, correto? Contudo, caso um artista queira colaborar com o espaço, enviando trabalhos, por exemplo, como deve proceder? Há essa premissa interativa?
VASQUES: De certa forma isso acontece, pois Casa Azul recebe muitas colaborações, e as janelas se abrem, mas predomina uma visão clara de que algo tem que estar em sintonia sempre com o ideal da beleza, e mesmo coisas tão belas nem sempre são publicadas, mas depois de uma forma ou de outra tornam-se referências.
13. Casa Azul corresponde a um ateliê coletivo? Observa-se no espaço uma galeria de autores, cada qual com sua inclinação artística?
VASQUES: Ateliê coletivo? Sim. Podemos ver dessa forma.
14. O Blogueiro, de sua autoria com arte de Danilo Marques, é um personagem frequentemente visto nas páginas de Casa Azul da Literatura. Há um quê biográfico nele?
VASQUES: Não exatamente. Mas há um quê de biográfico do mundo contemporâneo, de uma força extraordinária, avassaladora, que tomou conta do coração de uma multidão, o blog é algo profundamente apaixonante, e os blogueiros do mundo representam um imenso girassol, que aponta em todas as direções e busca o sol.
15. Casa Azul pressupõe morada ou uma parada para os navegantes? Seria a convergência de ambas opções?
VASQUES: Pressupõe morada sim, e também uma parada, um porto seguro, uma casa de repouso contra as intempéries do cotidiano, um imenso salão de conversa. O blog tem essa função ou essa filosofia, a de que nenhuma revolução será válida se não ocorrer mudança interior em cada um.
16. Casa Azul da Literatura é endereço para quem?
VASQUES: Para todos que acreditam na beleza, na arte, na palavra, no amor...

17. Em termos de agenda, é complicado conciliar as carreiras de autor, professor e blogueiro?
VASQUES: Tenho acordado muito cedo, pois o blog tem como uma de suas características a postagem diária, a novidade é uma de suas pedras de toque. O seu alcance e a sua felicidade estão na sua condição de novidade diária. Professor e autor são universos diferentes, infelizmente, mas estão entrelaçados pelo fato de que a Educação é irmã da criação. E"a gente vai levando"...
18. Um exercício de síntese: se precisasse eleger uma palavra para apresentar ou definir a Casa Azul da Literatura, qual seria?
VASQUES: Felicidade.



Marciano Vasques é escritor e o fundador de 
CASA AZUL DA LITERATURA

Veja AQUI o lindo blog CAFÉ DE OUTUBRO, de Danilo Vasques



6 comentários:

  1. Prezado xará Danilo Vasques, parabéns pela entrevista e por este pai talentoso e sensível.

    Marciano, parabéns pelo trabalho com a Casa azul da Literatura e por fazer dela um lugar tão especial de convivio e intercâmbio!

    Que haja sucesso, reconhecimento e muita alegria.

    ResponderExcluir
  2. CUANDO PASEANDO POR LA BLOGOSFERA ME ENCONTRÉ CON LA CASA AZUL DE LITERATURA Y ME ATREVÍ A ENTRAR EN ELLA, FUE COMO HABER HALLADO UN TESORO DE CULTURA.

    GRACIAS MARCIANO Y DANILO POR ESTA ENTREVISTA QUE ACABAIS DE PUBLICAR.

    UN ABRAZO, Montserrat

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo aniversário de 1 ano do Casa Azul. Parabéns pela dedicação diária que você tem com esse blog cultural. As vezes, com a correria cotidiana a gente acaba se esquecendo de mostrar a admiração pelo bonito trabalho que faz aqui, mas ela existe e é grande. Parabéns também, a você e ao Danilo, pela ótima entrevista.
    Sucesso ao Casa Azul!
    Um beijo,
    Daniela

    ResponderExcluir
  4. Seu Marciano, parabéns pelo primeiro ano de Casa Azul da Literatura.

    Sinto-me em casa. Aqui há alimento para a alma.

    Entro, pelo caminho aprecio música, reflito com os sapos, me divirto com o Blogueiro, aprendo, conheço, sinto saudade.

    A Casa nos recebe com tanta cor, emoção, alegria, informação, cultura, respeito, beleza... Adocica cada sentido.

    Desde o começo, quando eram colocados os primeiros tijolos, Casa Azul já abria suas portas para entrarmos. Eu só tenho a agradecer o espaço que você dedica à minha profissão, e também dizer que fico honrada em ser uma moradora.

    Belíssima a entrevista, gostei muito.

    Parabéns por este trabalho tão especial.

    Aquele abraço.

    Jéssica.

    ResponderExcluir
  5. Prezado Danilo Marques, eis que somos dois Nilos neste mundo cultural de Casa Azul, Montserrat, Dan, obrigado a todos pelos comentários que me cabem.

    Felicitações à Casa Azul pelo seu primeiro aniversário!
    Abraços.

    ResponderExcluir

Pesquisar neste blog