quarta-feira, 8 de setembro de 2010

ROSPO E O JARDIM


Ao avistar o velho amigo, Sapabela se aproxima.
- "Impressionante. Ele está dormindo em pé". Rospo! Abra os olhos.
- Sapabela, você me interrompeu.
- O que estava fazendo, Rospo? 
- Retirando as coisas do jardim.
-Que coisas? Que jardim?
- Os insetos que cortam as folhas, os fungos, os pequenos predadores, a sujeira, o entulho...
- Ótimo! Devemos cuidar do jardim, sempre, mas não estou vendo nenhum jardim, Rospo!
- É o meu jardim interno...
- Há um jardim em você?
- Sim, em cada um de nós, Sapa.
- E por que os olhos estavam fechados?
- Toda a sujeira, as pragas, os entulhos, são mentais. Tudo está em nossa mente, minha querida.
- E numa mente com saúde melhor ter as flores vicejando...
- Posso continuar, Sapabela?
- Pode, Rospo, feche os olhos. "É um bom jardineiro".


HISTÓRIAS DO ROSPO 2010 -214
Marciano Vasques


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisar neste blog